17 de Julho, 2017

Caminhos diferentes, destinos iguais... Romeiros que peregrinaram a pé, chegam a Juazeiro

São líderes desta missão peregrina de Estados diferentes, mas com a mesma crença, a mesma fé.
Estão chegando romeiros de vários lugares do Nordeste e de outras regiões do Brasil, para participarem piedosamente da Romaria do Padre Cícero. Esta Romaria inicia hoje, dia 17 e encerrará dia 20, com a tradicional Missa em sufrágio da alma do Padre Cícero Romão Batista. São 83 anos de sua morte.
 
Há alguns dias recebemos um comunicado que uns romeiros peregrinos do Rio Grande do Norte estavam na estrada fazendo peregrinação com destino a Juazeiro do Norte. 11 homens que saíram dia 30 de Junho de Lagoa Salgada/RN. 550 km de estrada, a pé. São verdadeiros atletas de Cristo.
 
Eles são movidos pela fé, movidos pelo fenômeno Juazeiro, terra santa, a Jerusalém do povo nordestino, como diz o romeiro. Enfrentando os perigos na estrada sem acostamento, trechos muito estreitos, BRs movimentadas, adversidades do caminho, entre poeiras, sol escaldante, tudo isso são os desafios que fortalece cada vez mais a fé do romeiro, e aumenta o desejo de estar no Juazeiro.
 
Grupo liderado pelo senhor Ednaldo Nunes de Mesquita, agricultor, e que segue a tradição da família. “Essas peregrinações começaram por volta dos anos 1910 a 1915 com o bisavô da minha sogra, o beato Sabino, que vinha de Lagoa Salgada a Juazeiro duas vezes por ano, na época do padre Cícero”, disse o senhor Ednaldo que completa este ano 32 viagens à terra do Padre Cícero. Amigos que o acompanharam nesta viagem por promessas ou por companheirismo: Aldair, Dedé Gustavo, Paulo Henrique, Titico, João Doutor, Lúcio, José Rodrigues (Zezinho), Gonçalo, Otávio e Chico do Bejú e José Neto, que veio acompanhando de carro para dar suporte ao que for mais necessário.
 
Chegaram nesta segunda-feira (17) e participaram da missa das 6h da manhã, com o Padre Cícero José (pároco) que fez uma linda receptividade a esses peregrinos, acolhendo-os na Casa da Mãe das Dores.
 
No sábado (15) descobrimos que outros peregrinos também estavam na estrada fazendo peregrinação, percorrendo as estradas do Nordeste. Saíram de Ouro Branco/AL, dia 6 de julho, com destino a Juazeiro, terra do Padre Cícero. Padre Cícero José os encontrou na estrada e os acolheu com muita alegria e satisfação.
 
Eles chegaram a Juazeiro na manhã de domingo (16), durante a missa das 9h. Foram acolhidos pelo Padre Toninho, vigário paroquial.
Este grupo liderado por Gercione Henrique da Silva e acompanhado dos seus amigos: José Márcio, Erisvaldo dos Santos Carmo, Damião Brasiliano, José Cosmo, Emílio Rodrigues, Gerson Aquino, Sebastião da Silva, Veronaldo, Francisco de Assis, Rivaldo Rodrigues (que veio acompanhando de carro).
 
“A minha primeira viagem foi uma promessa que fiz para passar num concurso, para vir a Juazeiro a pé por 10 anos. Passei no concurso. E no ano passado fiz uma promessa para ganhar para vereador, ganhei e estou aqui pagando essa promessa. E hoje estou aqui graças a Deus, Nossa Senhora das Dores e meu Padrinho Cícero. Essa é a minha 11ª viagem a pé, e hei de vir muitos e muitos anos”, falou o senhor Gercione , emocionado.
 
 
Ao sair de Ouro Branco esse grupo recebeu a bênção de Deus pelas mãos do Padre Genildo, da Paróquia Santo Antônio. Em seguida foram até uma estátua do Padre Cícero que tem no centro da cidade, se reuniram em volta da estátua, rezaram, pediram a bênção e seguiram a viagem fortalecidos e confiantes nas graças de Deus. Eles receberam o apoio do prefeito da cidade, Ademar Barbosa.
 
Caminhos diferentes, destinos iguais... Ednaldo Nunes de Mesquita, de Rio Grande do Norte e Gercione Henrique da Silva, de Alagoas, são líderes desta missão peregrina de Estados diferentes, mas com a mesma crença, a mesma fé. São romeiros devotos do Padre Cícero Romão, que vieram pagar as promessas de graças alcançadas.
 
A peregrinação é fortalecida pelo caminho quando passam por lugares lindos e encontram pessoas incríveis que lhes oferecem total apoio. Oferecem alimentos, água e dinheiro (para pagar refeição), até mesmo lugar para pernoitar. São pessoas que compreendem tamanha fé. Os peregrinos enfrentaram também obstáculos, estradas difíceis, íngremes, com muitos matos, mas sabem que são provações. São cansaços do corpo e da mente que não abalam a fé. São experiências enriquecedoras que engradecem a dignidade cristã e proporcionam um sentimento de paz, de missão cumprida.
 
Por Rozelia Costa

Romeiros peregrinos


comments powered by Disqus