Apostolado da Oração da Basílica Santuário celebra 130 anos de fundação

20/10/2018 Por: Aline Salustiano
941 visualizações

Em 19 de outubro de 1888, após um retiro de preparação de três dias, era fundado, na Capela de Nossa Senhora das Dores, no pequeno vilarejo de Juazeiro do Norte, o Apostolado da Oração – AO que teve como primeiro diretor local o Padre Cícero Romão Batista.

Vivo e atuante na missão da Igreja, em particular na então Paróquia de Nossa Senhora das Dores – Basílica Santuário, o Apostolado da Oração rendeu Ação de Graças na noite de ontem, 19 de outubro, pela passagem dos 130 anos de sua fundação.

A programação de comemoração teve início no último dia 16 e foi concluída com a Celebração Eucarística presidida pelo diretor espiritual diocesano, padre José Adelino e concelebrada pelo pároco/reitor da Basílica Santuário e diretor espiritual paroquial do AO, padre Cícero José da Silva.

Em sua fala, o padre Cícero José acolheu o celebrante, os membros do Apostolado e os muitos romeiros que lotavam a Casa da Mãe das Dores. “É com alegria que acolho a todos, em nome da nossa comunidade sacerdotal, hoje de modo bem particular aos 130 anos da fundação do Apostolado da Oração, criado pelo padrinho Padre Cícero Romão”, disse.

Em sua homilia o padre Adelino reforçou a importância histórica do Apostolado da Oração na Construção da então, Basílica Santuário de Nossa Senhora das Dores.   “Estamos celebrando hoje, um momento importante para a vida dessa Paróquia, 130 anos de caminhada do Apostolado da Oração, grupo mais antigo, talvez o primeiro grupo criado pelo Padre Cícero. Nós podemos imaginar tudo que AO construiu nessa Paróquia. Podemos imaginar os momentos difíceis que o padre Cícero Romão passou, e com isso, também enfrentados pelos paroquianos. Podemos imaginar o papel do Apostolado nesse período, no início da missão do Padre Cícero. O Apostolado teve um papel fundamental na estruturação dessa Paróquia”, afirmou.

Segundo o celebrante o apostolado da Oração, na Casa da Mãe das Dores, surge da devoção ao Sagrado Coração de Jesus que foi tão propagada pelo “Padrinho” e que ainda é presente no cotidiano das famílias da Região do Cariri com a celebração da Renovação ao Coração de Jesus.  “O AO e uma referência nessa Paróquia e na Diocese, pois ele foi gerado no início dessa história. E se tem algo que brotou do coração do Padre Cícero foi o AO, porque o que nós vivemos na região do Cariri, a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, tem muito da devoção que ele tinha ao Sagrado Coração. E percebemos essa devoção nos seus ensinamentos para as famílias, a cada ano, rezarem a renovação ao compromisso com o Sagrado Coração de Jesus, muito presente e vivo nessa região”, finalizou.    

Para a presidente do AO, Marinalva Pereira Leite, o Apostolado da Oração na Paróquia de Nossa Senhora das Dores, além de seguir a proposta da Igreja, segue os ensinamentos do Padre Cícero Romão, principalmente no que se refere a sua devoção ao Sagrado Coração. “Somos em 90 membros ativos, que mesmo com suas atividades laborais, vivem a espiritualidade e mantêm viva a presença da Virgem Santíssima juntos as famílias através da Renovação ao Sagrado Coração de Jesus”, enfatizou.

 

Homenagens

Durante a celebração do tríduo foram homenageados três membros do Apostolados (In memoriam) que contribuíram para a história desse movimento na Casa da Mãe das Dores. “Fizemos memória a estas pessoas pelos relevantes serviços pastorais prestados, durante décadas, com zelo e perseverança na oração, na comunhão e no acolhimento aos mais necessitados”, disse Marinalva Pereira

Na primeira noite de celebração foi homenageada Maria Alves de Sousa, natural de Juazeiro do Norte, costureira, foi nomeada presidente do AO em 09 de fevereiro de 1957 e permaneceu à frente do movimento 48 anos. Deixou um legado de dedicação e empenho no serviço pastoral.

Na segunda noite do tríduo foi homenageado o Monsenhor Murilo de Sá Barreto. Pessoa ilustre e notável como cidadão e pastor da Paróquia de Nossa Senhora das Dores, que durante 48 anos dedicou-se ao Apostolado da Oração. A última homenagem foi para a Maria Olga Feitosa Siqueira que, durante mais de trinta anos, foi membro do Apostolado, atuando como zeladora e assumindo a função de secretária.

 

O Apostolado

A semente do que seria posteriormente o Apostolado da Oração foi lançada em 1844, numa casa de estudos, em Vals, perto de Lê Puy na França. No dia de São Francisco Xavier, Pe. Francisco Gautrelet explicou a um grupo de estudantes que com as orações e sacrifícios poderiam levar um preciosíssimo auxílio àqueles que trabalhavam na construção do Reino do Senhor.

A iniciativa e as ideias propostas naquela exortação deram origem ao Apostolado da Oração que, aos poucos, se tornaram conhecidas em toda a França, não tardando chegar a outras nações. No ano de 1849, o Papa Pio IX concedeu-lhes as primeiras indulgências. A divulgação do Apostolado da Oração no mundo deve-se ao Pe. Henrique Ramiere, SJ. Foi ele o grande organizador e promotor do Apostolado.

No Brasil, o primeiro centro foi fundado por padres Jesuítas no ano de 1867, na cidade de Recife/PE, Igreja Santa Cruz. O Padre Bento Schembri, SJ foi seu fundador e primeiro diretor. Em 1º de outubro de 1871, foi fundado o primeiro centro do Apostolado da Oração na cidade de Itu/SP pelo padre Bartolomeu Taddei, SJ, logo, outros centros em nível diocesano e nacional. Por esta razão o Pe. Bartolomeu Taddei é considerado o fundador e o propagador do Apostolado no Brasil. Atualmente o país possui 3milhões de membros.

 Na Diocese de Crato o Apostolado da Oração atua intensificado a vida eucarística e o culto ao Sagrado Coração de Jesus, tanto individual, como nos lares por meio da consagração das famílias, está em 57 paróquias e congrega 7.000 mil membros.

Com sede oficial no Vaticano, o Apostolado da Oração possui dois projetos: O Vídeo do Papa com as intenções de cada mês ao longo do ano e o Click To Pray que é o aplicativo  Rezando com Jesus pela manhã , tarde e noite, que está disponível para os 36 milhões de membros espalhados em 98 países.



Galeria de Fotos: