Caravana da Mãe das Dores e do Padre Cícero visita a Diocese de Nazaré da Mata no Pernambuco

02/12/2019 Por: Rozelia Costa
253 visualizações

A Caravana da Mãe das Dores e do Padre Cícero esteve na manhã do dia 1º de dezembro, participando da IV Romaria Diocesana dos Romeiros da Pastoral de Romaria da Diocese de Nazaré da Mata/PE. A acolhida aconteceu às 8h na Paróquia de Santo Antônio cujo pároco é o padre Marizaldo Barbosa. Os romeiros diocesanos já aguardavam o início da caminhada com expectativa.

Em caminhada até o Centro Diocesano de Pastoral - CDP – Granja do Bispo, os romeiros entoavam benditos de Juazeiro do Norte, terra do Padim Ciço e protegida pela Mãe das Dores.

Dentro da programação aconteceu a missa, as 9h30 presidida pelo coordenador diocesano de romaria, Padre José Raimundo, pároco da Paróquia de São Sebastião, de Limoeiro/PE que com suas palavras demonstrou a alegria de acolher o Padre Cícero José, reitor da Basílica Santuário Nossa Senhora das Dores aonde acorrem tantos Romeiros e romeiras para visitar a Mãe das Dores e o Padre Cícero para celebrar a vida e buscar a esperança.

O padre Raimundo lembrou a leitura do profeta Isaías "o povo de Deus passava por crises por conta das atitudes contrárias ao projeto de Deus. Então o profeta alerta e convida o povo a não perder de vista o caminho mais seguro, mas esperançoso para construir relações, para construir a vida em Deus”. Lembrou que o Salmo também transmite essa mensagem de alegria por estar unidos a Deus, por viver a vida em Deus. Ele também lembrou que Paulo em sua carta aos romanos nos dá o direcionamento certo para concretizar essa vida com Deus: "despojemo-nos das armas das trevas e vistamos as armas da luz." O cristão romeiro e romeira não pode ficar do lado das trevas. No evangelho de Mateus Jesus também alerta os seus discípulos e discípulas a se prepararem para chegada do filho do homem. “Jesus também alertou que o povo vivia afastado de Deus, só queria saber dos prazeres humanos e por isso também podiam ser surpreendidos”, finalizou.

No final da celebração o Rosivaldo Pedro, que faz parte da Caravana da Mãe das Dores e do Padre Cícero animou os romeiros com o show do chapéu.

Em Juazeiro do Norte há um desejo e um esforço enorme para que todos sejam acolhidos como irmãos. E com esse sentimento o padre Cícero José iniciou o seu diálogo com os romeiros presentes, lembrando que, todo romeiro encontra na Casa da Mãe das Dores algo mais do que foi buscar, a acolhida fraterna marcada pela alegria do evangelho. Fez o convite para participar do SESQUICENTENÁRIO DE ORDENAÇÃO DO PADRE CÍCERO, dia 30 de novembro de 2020, lembrando que todo dia 30 haverá uma celebração simbólica, registrando o momento nas comunidades espalhadas pelo Nordeste, durante esse ano que marca os 150 anos de ordenação do nosso “Padim Ciço”. Foi elaborada uma cartilha com estudos e reflexões sobre as virtudes do santo padre. Falou também dos cuidados que os romeiros devem ter. Buscar as informações nos locais certos e como se comportar diante de acontecimentos inusitados, como perdas de documentos e local onde estar hospedado. Anotar endereço e telefone. Fez também uma cobrança aos motoristas e fretantes, que cadastrem sua romaria na Sala de Informações aos romeiros. São orientações precisas.

Tudo é festa, é romaria, é alegria com a chegada do romeiro na cidade do Padre Cícero. Todo carinho, todo respeito ao povo romeiro. “Nossa acolhida ao povo romeiro se dar por obediência ao Padre Cícero Romão que sempre acolheu a todos como afilhados e amigos. E que no leito de sua morte pediu ao romeiro: ‘nunca deixe de visitar o Juazeiro’”, disse o padre Cícero José.

São Paulo fundamenta sobre a acolhida e hospitalidade. Devemos acolher ao próximo, porque  “Deus o acolheu” (Romanos 14, 3). Agradecemos ao Padre Raimundo e aos romeiros pela acolhida e atenção para com a Caravana da Mãe das Dores e do Padre Cícero.

Tudo é graça de Deus!



Galeria de Fotos: