Sob chuva, fiéis participam da missa em memória ao Padre Cícero Romão

20/02/2018 Por: Aline Salustiano
2.615 visualizações

Mesmo com forte chuva, católicos lotaram, na manhã de hoje 20 de fevereiro, o patamar da Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Juazeiro do Norte, para participarem da missa em sufrágio da alma do Padre Cícero Romão. A Celebração Eucarística foi presidida pelo bispo da Diocese de Crato, dom Gilberto Pastana e concelebrada pela equipe de padres da Paróquia de Nossa Senhora das Dores – Basílica Santuário, padre da diocese de Crato e padres romeiros.

Em sua homilia, dom Gilberto fez relação da Chuva, narrada pelo profeta Isaías na primeira leitura e que molhava os fiéis na praça do Socorro, com a Palavra de Deus. “Como a chuva irriga e fecunda a terra, assim também é a palavra de Deus, quando ela encontra um coração acolhedor e uma vida sadia, ela produz os efeitos necessário, ela produz o bem, a solidariedade, a fraternidade entre os irmãos”, afirmou.

O bispo ainda destacou, durante sua reflexão do Evangelho de São Matheus (6,7-15), em que Jesus ensina o Pai Nosso aos discípulos, a importância da Oração na vida do povo cristão. “A oração é a maior arma do cristão. Ela é a certeza que somos filhos e discípulos do Senhor, porque quem reza está sempre sintonizado com Deus, escutando o que Ele tem para dizer.  O Senhor diz que, quando rezamos, não precisamos dizer muitas palavras. Rezamos com o corpo, com o semblante, com as mãos, com os olhos, como os ouvidos, a gente reza com o joelho, com a postura de quem está diante de Deus”, frisou.

“Por isso, Jesus ensinou aos discípulos que a oração não deve conter muitas palavras, mas deve ser feita do coração. Em primeiro lugar sintam a presença de Deus e deixem essa presença falar dentro de vocês. Deixem essa presença transformar a sua vida. E aí Jesus então ensina o Pai nosso, a partir do pedido dos discípulos ‘Senhor ensina-nos a orar’ e os discípulos pedem isso porque eles viam Jesus orar”, continuou.

Dom Pastana ressaltou que Jesus não queria que os discípulos decorassem palavras. “Veja bem, quando Jesus ensina o Pai Nosso, ele não ensina palavras, ele não pede que os discípulos decorem as palavras. Jesus quer que essas palavras se tornem vida e cheguem ao coração. Por isso, ensina que Deus não está distante, mas sim presente na vida deles, ensina a chamar a Deus de Pai”, disse o bispo lembrando que pelo Pai, que é o criador, foram feitas todas as coisas, e que tudo que existe se origina a partir Dele, e que por isso, Ele é Pai de toda a humanidade.

O bispo concluiu lembrando que a oração, juntamente com o jejum e a esmola, ajuda o cristão a viver de forma mais intensa o período em que a Igreja celebra a Quaresma. “A oração é um elemento fundamental na nossa vida, sobretudo neste tempo da Quaresma, ela nós faz perceber o quanto estamos distantes ou perto da vontade do Senhor”, concluiu.

Na oportunidade, o bispo dom Gilberto Pastana aproveitou para apresentar a comunidade, os padres Geraldo Luiz Canaver e Gilberto Floresça da Câmara, pertencentes a Congregação Josefinos de Murialdo, que foram empossados, no último dia 18,  pároco e vigário paroquial da Paróquia de Nossa Senhora das Candeias, no bairro Frei Damião, como também o diácono transitório Emiliano Dantas.

 

 



Galeria de Fotos: